Famílias Realojadas no Projecto Mayé- Mayé.

Promotores podem adquirir Terrenos Infra-estruturados em Moçamedes
Maio 7, 2021
EGTI e ULA, assinam acordo de cooperação científica
Julho 13, 2021
Treze famílias, de um total de mil e 560 que viviam em situação de vulnerabilidade na cidade capital, foram realojadas nesta quarta-feira, no projecto habitacional Mayé-Mayé, arredores da Centralidade do Sequele, município de Cacuaco.

Os contemplados receberam as chaves das mãos da ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, no âmbito do projecto de realojamento das famílias vítimas das últimas chuvas, que causaram oito mil e 165 desalojados.

O realojamento das famílias afectadas pelas chuvas começou na passada semana, com a atribuição de residências a 157 outras.

O projecto habitacional Mayé-Mayé conta com mais de três mil habitações, cuja construção teve início em 2016.

A primeira fase do projecto foi concluída há mais de dois anos, com duas mil casas T2 e mil T3, encontrando-se em construção 1.522 casas para serem entregues em breve.

Segundo Carolina Cerqueira, para o programa integrado de realojamento das famílias em Luanda existem cinco mil habitações sociais, mil 680 apartamentos e quatro mil casas sociais.

“Viemos reafirmar o programa do Executivo para o realojamento das populações que estavam em situação precária. Trata-se de reafirmar o direito de habitação condigna às populações”, disse a ministra.

Carolina Cerqueira acrescentou que o Ministério das Obras Públicas e Ordenamento do Território está a levar a cabo em todo o país um programa de habitações sociais.

O programa, prosseguiu a ministra, é integrado e estruturado, com acesso a escolas, posto de saúde e esquadra policial, no âmbito da proximidade dos serviços sociais básicos às populações.

O processo de entrega das habitações foi testemunhado pelos Ministros da Saúde, Educação, Interior, Energia e Águas e das Obras Públicas e Ordenamento do Território.